• Marcelo Camargo

Sua empresa tem sistema de controle financeiro?


Estive recentemente com um empresário do ramo varejista e ele estava me contando como chegou à difícil situação financeira em que se encontrava. A empresa dele chegou à ter 12 lojas pelo Rio de Janeiro, mas com a crise financeira desde 2017 ele fechou 8 lojas e agora só tem 4. Hoje ele fatura 25% do que faturava antes da crise e o endividamento bancário chega a ser o equivalente à 6,5 vezes o faturamento de um mês. Só o valor de juros pagos aos bancos somam mais de 100% o EBITDA da empresa.


Fiquei pensando: mas o que pode ter acontecido para que uma empresa saudável e lucrativa resultasse, em apenas dois anos, em outra empresa em pré-falência? Fiz a pergunta ao empresário com quem conversava e ele prontamente me respondeu que o motivo foi a crise. Mas eu não acho isso!


Claro que a crise contribuiu para que a situação chegasse onde chegou. Afinal, se o mercado continuasse consumindo no mesmo patamar que antes, a empresa continuaria a faturar 3 vezes mais, empréstimos bancários não seriam necessários e a vida estaria do mesmo jeito. Mas e se a empresa estivesse mais preparada para enfrentar uma crise? Sofreria um impacto, claro, mas sobreviveria, e, no momento pós crise iria voltar a dar lucros como antes.


E qual foi a falha da empresa que a deixou tão despreparada para enfrentar a crise. Como diversas empresas no Brasil, o principal problema foi a falta de informações que pudessem ajudar a direção da empresa a tomar as decisões mais rapidamente, evitando que a situação se deteriorasse.

Por não saber exatamente a margem de contribuição do negócio e de cada loja, não conhecer o ponto de equilíbrio, não fazer corretamente a formação do preço de venda e não controlar o fluxo de caixa, o empresário com quem conversava demorou a perceber que havia algo errado. A única informação que tinha para administrar a empresa era o saldo bancário: enquanto tinha dinheiro na conta estava tudo bem.


Até que um dia faltou dinheiro e o empresário teve que escolher alguma conta para não pagar. Optou por não pagar tributos e assim seu passivo tributário amentou muito e ficou impagável. Quando faltou dinheiro novamente, pegou o primeiro empréstimo e a dívida bancária cresceu vertiginosamente.


Se ele tivesse tido informações na mão em tempo hábil, teria identificado antecipadamente o prejuízo de cada loja aberta e tomado ações imediatas para reduzir os custos desnecessários, corrigido o preço de venda das mercadorias, criando sinergias entre as lojas, fechado as que não tinham rentabilidade mínima e assim, não precisado atrasar o primeiro imposto e tomado o primeiro empréstimo.

Por isso, quando converso com um empresário, enfatizo a necessidade de um sistema de informações financeiras, que seja no excel, e que exista um controle mínimo para que o ajude a acompanhar a evolução financeira do negócio. Isso pode salvar a empresa em algum momento.


E sua empresa, já tem um sistema de informações financeiras?

11 visualizações

Rua.Senador Dantas, 20 -  sala 904

Centro - Rio de Janeiro (RJ)

(21) 2277-5950

contato@jcomcontabilidade.com.br